Soluções

Soluções de CFTV

   Antes de implantar seu sistema de CFTV você deve ter algumas informções de quem está instalando e do sistema que vai ser implantado. A linha de CFTV conta com diversos modelos de câmeras, gravadores e de cabos de comunicação, quando você quer implantar o seu sistema você deve ter um projeto ou pedir que seu integrador elabore o mesmo. A maior dúvida é qual sistema implantar, IP ou analógico? Tudo vai depender da sua necessidade, do que você quer ver, qual a definição da imagem? São pontos cruciais para uma integração de sucesso, após a escolha de todo o sistema você deve partir para que cabo irá ser colocado, qual marca, se ele possui proteção de interferencia. Tudo isso tem que ser pensado antes de implantar um sistema de segurança.

   A importância de saber qual tecnologia de câmera vai ser implantado é 50% do planejamento, pois com ele é possível saber qual tipo de cabo irá ser utilizado no projeto. Vamos destacar alguns pros de um sistema IP e TURBO. A tecnologia Turbo pode se usar o mesmo cabeamento do sistema analógico antigo, contando que o cabeamento antigo tenha sido feito com cabos de qualidade e sem emendas. A nova tecnologia veio para revolucionar o mercado, pois não precisa modificar o sistema de infraestrutura antiga. Vamos a algumas perguntas simples mas que vão implicar diretamente na qualidade de seu projeto. 

1) Qual sistema devo escolher? Turbo ou IP?

2) Qual a difença entre Turbo e IP?

3) Qual cabo correto para câmeras TURBO?

4) Existe distância máxima de cabeamento sem perder qualidade?

5) Qual gravador devo utilizar?

6) Por que devo contratar um integrador certificado?

   Bom vamos por partes, a primeira pergunta é crucial pois vai impactar na qualidade, infraestrutura e custo do projeto. Com o sistema Turbo os cabos que seram utilizados são completamente diferentes do sistema IP. O sistema IP é utilizado para projetos de lojas, condomínios, supermercados, monitoramento de bairros, etc. O sistema Turbo é utilizado em residências onde não vai ser necessário um projeto complexo mas que é preciso qualidade de imagem.

   A segunda pergunta foi praticamente respondida, nós utilizamos o sistema turbo em residências que precisam de qualidade de imagem mas não é necessário diversos recursos com o IP nos oferece, ou seja, utilizamos TURBO onde é necessário qualidade e poucos recursos avançados.

   A terceira pergunta é complexa e depende muito do ambiente. Muitos instaladores utilizam cabo de rede CAT5 para a instalação pois em um único cabo é possível comunicar até 4 câmeras, mas isso implica na perda de qualidade de imagem, se você quer uma imagem nítida e sem “chuviscos” é necessário cabo próprio de CFTV ou o cabo RG6, que é indicado pelos fabricantes. Com o cabo RG6 nós não temos alimentação integrado nele, precisamos ou passar um fio de alimentação junto com o de comunicação se não for muito distante, ou colocar a fonte perto da câmera caso o trajeto seja longo. O cabo de CFTV conta com a facilidade da alimentação ser junto com o cabo de comunicação, mas também conta com uma distância máxima pois a alimentação pode ter grande perda.

   A quarta pergunta vai ter variáveis como qualidade da câmera e o cabo que será utilizado, como mencionado acima alguns instaladores utilizam cabo CAT5 para transmissão de vídeo, o que não é o correto para câmeras TURBO, o fabricante garante até 1200 metros com cabo RG6, mas por que RG6? Pois ele não perde qualidade, não é sensível a interferências como o CAT5. Se você tem uma câmera de 2MP ou 3MP e utilizar cabo comum em uma distância considerável ou perto de energia elétrica a qualidade da imagem vai ser consideravelmente afetada, pondendo cair a qualidade de uma câmera de 3MP a qualidade cair para 1MP.

    Na quinta pergunta vamos com calma, primeiramente saber a potência de sua câmera, o tempo de gravação necessário, saber o local de visuzalização e se você quer ver remotamente. Mas porque preciso saber tudo isso? É simples, se você tem uma câmera de 2MP você necessita de um gravador de imagem de no mínimo 2MP, pois o gravador deve seguir a potência de imagem de sua câmera. O tempo de gravação é crucial, pois com isso você vai saber se vai necessitar de um gravador que suporta 1 ou 2 HD’s. O local de visualização é algo que vários clientes tem dúvidas, o gravador deve ter serviço de DDNS próprio, algo que garanta que você irá conseguir acessr seu equipamento onde você estiver.

   A última pergunta é algo que as vezes tras dores de cabeça aos clientes e aos integradores, alguns instaladores não fazem cálculos de transmissão de dados, de alimentação, dos equipamentos instalados, não tem uma visão completa do projeto. Um integrador certificado sabe e conhece os procedimentos e os produtos que ele instala, não adianta vender uma câmera potente se seu gravador não é compatível, se seu cabeamento não esta correto. Vamos ver uma situação que acontece com frequência, o cliente tem um sistema IP e quer adicionar controles de acesso ao condomínio ou a empresa, o primeiro instalador não explicou para o cliente que poderia ser feito a integração na mesma infraestrutura, o cliente teve um custo adicional desnecessário pois o instalador não explicou para o cliente e não deixou portas em espera para o sistema novo, ou pior, o integrador que fez a primeira instalação deixou as esperas certas para a implatação do novo sistema e o segundo instalador que não conhece o sistema explicou para o cliente que é necessário fazer uma nova infraestrutura para o novo projeto. A diferença entre o instalador e o integrador é a experiência e qualidade de serviço. Um integrador sempre irá lhe dar suporte, você terá a certeza que o mesmo conhece os produtos que instala.

 

 

 

Comments

comments

Comments are closed.